Comments are off for this post

Primeiro domingo do Advento

Bem-vindos ao ano litúrgico, no qual a Igreja Presbiteriana Unida do Brasil é chamada a celebrar o agir salvador do Deus Criador, Salvador e Sustentador de toda a sua obra. Estamos no primeiro domingo do advento, do ano B de nosso Senhor, dia 29/11/20, quando iniciamos o ciclo do Natal, e alteramos a decoração de nossas igrejas, da cor verde para a roxa, para sinalizar este tempo de nosso Deus. Os textos bíblicos recomendados para hoje são os de Isaías 64.1-9, o Salmo 80.1-7, 17-19, I Co 1.3- 9 e Mc 13.24-37, que Deus abra nossos lares e mentes a este tempo onde cada família é evangelizadora, segundo o seu chamado.

ORAÇÃO – Quando lemos Is 63,16b-17.19b; 64,2b-7 vemos o pedido, oração provida de um sentimento profundo e necessitado do povo filho ao Pai Jahwéh, seu redentor: – Vem, Pai, mudar nosso ser, transformar-nos para que não pecarmos mais do que já era em nossos descaminhos; temos pecado por pensamentos e atos, feito errado; vem, desce e nos alcança, seja soberano sobre nós, para que outros reis não nos tornem seus súditos, seus vassalos, em estado de opressão.

UMA FAMÍLIA TEOLÓGICA – Isaías ou a coleção formada pelos capítulos 56 a 66 do Livro de Isaías, convencionou-se chamar “Trito-Isaías”, sendo um conjunto de textos cuja proveniência não é totalmente consensual. Seria de autoria de um profeta anônimo, que viveu tempos após o exílio na Babilônia, que exerceu o seu ministério em Jerusalém, nos anos 537/520 a.C.; mas, para a maioria, seriam textos provenientes de diversos autores pós-exílios, como se fosse uma igreja teológica, onde os membros fossem escrevendo a partir de consenso, de uma espiritualidade engajada em entender o seu tempo e dar um relevante testemunho no seu tempo. Temos o benefício da dúvida e a certeza de que Deus os abençoou com a riqueza de uma inspiração sagrada, refletida a partir da realidade vivida, e que merecia ser compartilhada, como o fizeram, na missão recebida de proclamar os feitos de um Deus, a quem chamaram de Pai.

RASGANDO A DISTÂNCIA – A leitura destaca o agir de Deus como Pai, redentor, cheio de amor e misericórdia; manifesta no caminho peregrino do Povo, liberto e protegido por Deus Pai. Na rotina da convivência pode haver erros, como o abandono da família, a traição, a perda das referências da lei a regular as relações de liberdade, onde o direito de um vai até onde começa o do outro. O Pai exorta a família a permanecer. E que bom quando o desejo da família é de intimidade, respeito, fidelidade, amor, compromisso com a vida de cada membro. Assim, como irmãos, oram unidos: “Como gostaríamos que tu rasgasses os céus e descesses…”

RASGANDO O VERBO – O Evangelista Marcos retrata aos desanimados, desatentos, desleixados, desprovidos do senso de urgência, descompromissados, duvidosos, cheios de “deixa a vida me levar”, que a casa do Pai tem autoridade sem autoritarismo, tem poder compartilhado que exige corresponsabilidade, tem liberdade que exige delimitações de papéis e responsabilidades claras. Os sinais são claros de que a justiça de nossos atos têm consequências reais e práticas. Como construímos a casa determina em que casa vamos morar. Deus age através de seus filhos e filhas, servos(as) livres.

RASGANDO O NOME? – A manifestação de Deus junto à sua criação é qual um dia do juízo, é um tempo final quando mais nada se pode fazer; é um fim de expediente, é um prazo esgotado, e o alerta é para remir o tempo, fazer acontecer enquanto é dia pois a noite vai chegar. Quem ama cuida. Quem alerta se importa com a condição do outro. Quem deseja integrar, acolher, inserir, cuida para que os erros e desvios não superem o zelo de Deus por cada vida, por toda a sua obra; que o nome de ninguém seja rasgado da lista! O

PAI CIRCUNDANDO FILHOS E FILHAS – Paulo destaca aos coríntios que o Deus triúno os circunda com a graça e a paz, com bênçãos por meio do Filho Amado, Cristo Jesus, irmão nosso. Pela união com o Filho Amado do Pai cada coríntio foi enriquecido em tudo, no dom do anúncio do evangelho, e assim, cumulados de ricas bênçãos, nenhum dom lhes falta, graciosamente ofertados. Esse rodear de cuidados para que nenhum se perca visa conservá-los firmes, inabaláveis em meio às dificuldades e provações. Viver na iminência daquele que vem, o Deus que vem, que rasga distâncias e se torna presente a cada dia. Na sua fidelidade, o Pai chama cada coríntio, filho e filha, a viverem unidos com seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor!

Rev. Wilson Lords Torres
Vice Moderador CC-IPU
Pastor na IPU de Laranjeiras e IPU Jardim Tropical

 

Comments are closed.